Antropofagia no Design de Interação

O Instituto Faber-Ludens publicou um ensaio histórico sobre o conceito de Antropofagia, o canibalismo cultural proposto por Oswald de Andrade e outros modernistas. A brincadeira com o suposto canibalismo indígena tem o objetivo de afirmar a transformação de conceitos importados de outros países para a realidade brasileira.

Na biblioteca do Instituto Faber-Ludens, há um precioso exemplar da coletânea Revista de Antropofagia.

A Antropofagia foi usada como tema para o Tropicalismo nos anos 70 e na Cultura Digital, anos 2000. O Faber-Ludens faz parte dessa nova leva de criadores culturais que consideram a tecnologia parte essencial da cultura. O desenvolvimento tecnológico deve estar em sintonia com a cultura do país. Ao invés de estigmas, jeitinho e gambiarra podem ser diferenciais culturais no mercado global.

Um projeto que ilustra bem essa orientação, é o Olho no Olho, uma câmera afixada na bunda de uma mulher que quantifica quantas vezes ela foi observada. Este projeto é uma boa digestão do Rear View Los Angeles.

http://www.youtube.com/watch?v=Q2Kk7TVK_F4

A vantagem de usar ferramentas livres

Segunda-feira publicamos o livro Design Livre e começamos a receber comentários de leitores. Um pesquisador da Universidade de Maryland pediu uma versão somente texto do livro para traduzir seu conteúdo automaticamente e dar uma olhada.

Nós não tínhamos uma versão somente texto. O único formato que o Scribus exporta é o PDF. Pesquisei no Google e encontrei um script em Python que exporta todo o texto de um documento. Esse script só existe porque a arquitetura do Scribus é aberta e as pessoas podem colaborar com novos scripts no wiki de documentação. Copiei e colei o código num arquivo, salvei como export_txt.py e executei ele dentro do Scribus.

O resultado foi quase o que eu queria. Toda vez que havia uma nova página no TXT aparecia “Page34:” seguido do texto da página. Olhei com atenção o script e notei a linha 23

T.append('Page '+ strpage + '\n\n')

Foi só comentar essa linha com o # no início que eu tirei o que me incomodava. Esta é a principal vantagem do Software Livre: se algo não está bom pra você, então mude!

Bem, pra falar a verdade, nem sempre é fácil fazer isso no Software Livre. E também o que parece fácil para mim pode não ser pra você. Mas o princípio de poder modificar sua ferramenta e compartilhar suas modificações me parece muito útil. O que precisamos é desenvolver maneiras de tornar essa tarefa mais simples para quem não programa.

A propósito, o TXT do livro já está disponível na página de Download.

Livro Design Livre

O livro está disponível para download nos seguintes formatos:  

Visualização web

Visualize no Issuu ou no Scribd a edição completa do livro.

Edição Impressa

Você pode imprimir seu livro em casa ou encomendar uma cópia impressa pelo Clube dos Autores. Cozinha caseira ou profissional, certamente será uma leitura deliciosa!

Edição Faça-Você-Mesmo

Capa de presente

Se você recebeu um código de desenho de um amigo, seguem as instruções de como aplicá-la na capa da sua edição impressa:

Funciona que nem batalha naval, com a diferença de que ambas colunas e  linhas são identificadas por letras, no caso as letras do título do livro. Portanto, se você recebeu um código assim: LE – LG, você deve riscar um traço desde o ponto da linha L e coluna E até o ponto da linha L e coluna G.

A cada vírgula, inicia-se um novo traço. Se o seu código veio assim: LE – LG, LE – IU, a sua capa ficará assim:

Prossiga com o código até terminar o desenho. Não confunda linhas com colunas! O padrão é sempre primeiro linha, depois coluna. Use uma caneta da cor de sua preferência. Veja exemplos de como ficaram as capas de outros felizardos e aproveite pra fazer uma capa de presente para um amigo.

Vídeo explicando o processo.

Como imprimir e montar em casa

1. Baixe o PDF

2. Imprima dois por folha

Exemplo de como fazer isso no Adobe Acrobat Pro versão Mac.

3. Monte o livro

Material necessário:

  • Impressora
  • Cola de bastão
  • Tesoura
  • Fita crepe

Passo a passo:

Protótipo do livro – versão 1

Hoje trabalhamos intensamente no texto colaborativo “O que é Design LIvre“. Havíamos decidido no começo do dia que, até o final desta quinta-feira teríamos terminado uma versão deste texto para imprimir um boneco do livro, e assim fizemos.

Anexo neste post está o documento .ODT para quem quiser baixar e editar o livro, testar formatos de diagramação e formatação — além de um documento PDF para visualização do livro até agora.

Abaixo, a montagem do boneco do livro 🙂